Marrakech (Marraquexe), Cidade histórica e capital turística do país

Marraquexe, A Cidade da Euforia e das Compras em Marrocos

Marraquexe, A Cidade da Euforia e das Compras em Marrocos


Marrakech – Marrocos


Marrakech (ou Marraquexe) é a cidade mais conhecida de Marrocos. Toda a gente já ouviu falar de toda a agitação da Praça Jemaa el Fna, dos souks (mercados) cheios de artigos exóticos para comprar e da beleza da medina.

Apesar de viver em Ouarzazate, vou muitas vezes a Marrakech em trabalho porque é lá que fica o escritório da empresa de viagens organizadas em Marrocos. É sempre uma aventura voltar à “cidade vermelha marroquina”. Tem este nome por causa da cor das paredes dos edifícios da medina.

Para visitar Marrakech como turista precisa, pelo menos, de 3 dias completos para conhecer a cidade. É claro que pode ficar menos dias mas vai ficar muita coisa por ver e fazer. Como Marrakech tem um aeroporto internacional, uma das sugestões que costumo fazer aos meus clientes é que voem para esta cidade, fiquem uns dias e depois façam um tour por Marrocos, pelas outras cidades imperiais ou ao deserto. Um serviço que também tenho é arranjar-lhes um guia para ficar a conhecer bem os lugares mais importantes com uma pessoa local. De qualquer forma, seja como for, qualquer grande tour em Marrocos há-de passar por Marrakech porque a cidade é mesmo espectacular.

Marrakech, A Cidade da Euforia e das Compras em Marrocos

Rua na antiga medina da cidade perto do Museu de Marrakech

Para além dos monumentos mais importantes de Marrakech, cuja lista já lhe vou dar mais abaixo, o que eu acho mesmo fascinante para fazer por aqui é ter experiências completamente diferentes das que pode ter no resto do mundo ou que fazem mais sentido em toda esta atmosfera de gente a andar de um lado para o outro na parte antiga da cidade, quase como se vivêssemos há uns séculos atrás.

Entrada da Madraça Ben Youssef em Marrakech

Entrada da Madraça Ben Youssef em Marrakech

Entre outras coisas, faça uma visita a um Hammam marroquino, um banho público. Dê grandes passeios na Praça Jemaa el Fna e veja os artistas, especialmente os músicos. Beba um sumo de laranjas acabadas de espremer.

Aproveite o terraço de um riad (casa de hóspedes) para ouvir o Almuadem do anoitecer a chamar para a última oração do dia. No souk, não deixe de regatear. Em relação a tudo o que quiser comprar, mas especialmente com um tapete berbere. À noite, tem mesmo que ir ao espectáculo no Chez Ali. Vai adorar toda a produção que envolve bailarinos, acrobatas, músicos, cavaleiros, mágicos,… Vale mesmo a pena.

Especiarias à venda nas ruas de Marrakech em Marrocos

Especiarias à venda nas ruas de Marrakech em Marrocos

Ainda antes de falar nos monumentos de Marrakech, não posso deixar de sugerir passeios pelos jardins, pelo palmeiral, pela cidade nova, etc. E, claro, mercados e mais mercados.

Muito bem, vamos aos monumentos. Assim de repente lembro-me destes que me impressionaram mais.


Visitar Marrakech – Marrocos


Mesquita da Koutoubia – O monumento mais famoso de Marrakech, construído no século XII. É tão fantástico que serviu como modelo para a Giralda (Sevilha) e Torre Hassan (Rabat).

Madrassa Ben Youssef – Esta faculdade islâmica do século XII foi mandada construir pelo sultão Ali ibn Yusuf de Marrocos. Pode-se visitar por dentro pois hoje é um museu. A decoração do interior das diversas salas e toda a arquitetura são mesmo, mesmo espectaculares.

Jardins Majorelle – Jardim botânico de Marrakech, projectado pelo artista Jacques Majorelle. Hoje em dia pertence a Yves Saint-Laurent e Bergé Pierre mas pode ser visitado. Vai encontrar flores exóticas de zonas distintas do mundo.

Palácio Bahia – O objetivo da construção deste palácio era que fosse o mais belo de Marrakech. É possível ver o belo jardim, o pátio central e várias salas decoradas decorados pelos melhores artesãos de Marrocos.

Túmulos Saadianos – Foram mandados construir no século XVI por Ahmad al-Mansur. O mausoléu contém os corpos de cerca de 60 membros da Dinastia Saadiana original do vale do Rio Draa.

Jardins La Menara – É neste jardim que as pessoas locais de Marrakech se passeiam, especialmente ao fim de semana.

Qoubba Almorávida – Não há muitos edifícios Almorávidas de pé. Este, do século XII, foi mandado construir pelo sultão Ali Ben Youssef de Marrocos em 1106. É possível visitá-lo e ver o fabuloso tanque de lavagem para as rezas e uma pequena cisterna.


Marraquexe – Guia da Cidade


Lindo pátio central do Palácio Bahia em Marrakech

Lindo pátio central do Palácio Bahia em Marrakech

Marraquexe é uma cidade ao Sul de Marrocos, a qual tem imensas alcunhas, como a “cidade vermelha” ou a “pérola ou porta do Sul”. O seu souk ou mercado tradicional, é realmente o maior de todo o país, o qual vive de uma dinâmica sem igual e bastante exótico.

Em Marraquexe, encontramos uma das praças mais movimentas de África do Norte, a famosa Praça Djemaa el Fna. Aqui poderá entrar em contacto com imensas profissões e artistas de todos os tipos, nomeadamente acrobatas, dançarinos, músicos com instrumentos tradicionais, vendedores de comida e bebidas, encantadores de serpentes, dentistas e bancas de dentes (verdadeiros), entre outros. É simplesmente incrível a experiência aqui vivida.

Neste artigo irá conhecer alguns aspectos importantes sobre Marraquexe, nomeadamente a sua geografia, história e natureza. Saberá onde se localiza, relativamente a outras cidades do país, assim como poderá anotar o que visitar, onde dormir e onde comer. No final, poderá ainda clicar nos vários sites diferentes que escolhemos para conhecer melhor esta cidade.


Geografia de Marrakech:


A cidade de Marraquexe fica a cerca de quatro horas de carro da capital de Marrocos (Rabat). Encontra-se localizada num oásis, o qual fica situado junto à zona Norte da Cordilheira do Alto Atlas, onde fica ilustrado (a 70 Km do Sul da cidade), o ponto mais alto do Norte de África com 4 167 metros de altitude – o Jbel Toubkal. No seu oposto, encontramos um outro planalto com mais de 2500 metros de altitude, conhecido pelas suas escarpas vermelhas. Estas montanhas são, por norma, um dos factores mais atractivos de Marraquexe, que com proporções enormes, promovem-nos um espectáculo soberbo. Tanto no Inverno (com neve nos sopés das montanhas), como no Verão (com o Deserto a completar a paisagem), encontramos aqui durante todo o ano, uma paisagem de tirar o fôlego.

O clima de Marraquexe é semi-árido quente, representado por Invernos amenos e húmidos, e com Verões quentes e secos. As temperaturas rodam os 12ºC no Inverno e entre os 32º e os 45ºC no Verão. Ao nível da precipitação, os Invernos são chuvosos e os Verões são secos, ao estilo do clima mediterrâneo.


História de Marrakech:


A zona onde encontramos a cidade de Marraquexe começou por ser habitada por agricultores, já na época do Neolítico, sendo que a cidade em si, foi fundada por Abu Becre Ibne Omar em 1062. Sobre o domínio dos Almorávidas, os guerreiros do Deserto, construíram nesta cidade uma série de Mesquitas e Madrassas, as escolas que tinham a missão de ensinar o Corão. Por este motivo, a cidade desenvolveu-se imenso ao ponto de ser reconhecida como um importante centro cultural e religioso, e como consequência, Marraquexe evoluiu imenso no que toca ao comércio. Devido ao interesse por parte de cidades como Sevilha e Córdoba, desenvolveram-se edifícios bastante interessantes no sentido arquitectónico, mais propriamente representado pelo estilo Omíada. É considerada uma das cidades mais relevantes do mundo muçulmano, a qual foi fortificada severamente, e que cheia de mesquitas e palácios de grande interesse, foi, naturalmente, a capital do reino várias vezes. Aquando a queda do regime Almorávida, Marraquexe passou pelos períodos Saadino e Alauita. Quando a história de Marraquexe entrou no século XX, estes tempos ficaram marcados por muitos tumultos e revoltas devido ao descontrole político existente após a morte de grão-vizir Bahmad, momento ideal para a coroa francesa entrar em cena e controlar este território, assim como e também outras cidades marroquinas – por exemplo Casablanca. Após a independência do país, nos anos 60/70, Marraquexe aliou-se ao Turismo, momento bastante atractivo para artistas, músicos, estilistas, pois achavam esta cidade bastante exótica e interessante para dignificar o movimento hippie vivido na altura.


Natureza à volta de Marrakech – Flora e Fauna:


Quando estiver na cidade de Marraquexe, saia de cena e conheça um lado mais pacato na vida de campo. Poderá ir de camelo, percorrendo os maravilhosos trilhos no deserto, e ver uma belíssima paisagem dos imensos palmeirais. Aí poderá conhecer, perto dos locais, como a vida é passada, assim como as características naturais deste território. É incrível poder chegar ao “bosque” de palmeiras, momento acompanhado de um chá de menta. Totalmente inspirador. As palmeiras são exuberantes e o terreno acidentado, elementos de um cenário inesquecível.

Conheça o Vale de Ourika, o qual fica situado a cerca de trinta quilómetros do centro da cidade de Marraquexe. É considerado um dos lugares mais apreciados, fora deste centro urbano. Tem uma beleza natural fantástica, e por tal representa um dos lugares obrigatoriamente visitados pela maior parte dos visitantes. Tem cerca de 150 mil hectares de vegetação verde (bastante contrastante neste território) e um imenso palmeiral. Para além de palmeiras, Marraquexe é representada por muitas outras árvores de fruto, nomeadamente a laranjeira, a figueira, a romãzeira e a oliveira.


Distâncias de Marrakech:


203 km a norte de Ouarzazate
239 km a sul de Casablanca
251 km a norte de Agadir
327 km a sul de Rabat


O que visitar em Marrakech:


Loja na medina de Marrakech

Loja na medina de Marrakech

Marraquexe tem uma infinita lista de lugares maravilhosos para visitar, e todos eles encantadores. Vamos começar, como é óbvio pela Praça Jemaa el-Fnaa, a mais conhecida praça de toda a África pela sua excentricidade, na qual fazemos uma viagem entre o passado e a experiência do presente. Aqui, podemos estar perante uma obra arquitectónica restaurada e integrada na lista da Unesco – Património da Humanidade, cujo nome tem como significado “o conjunto de invasores”. Com uma movida sem igual, a sensação de estar nesta praça é única, onde poderá conhecer imensos tipos de comerciantes, encantadores de serpentes, dançarinos, treinadores de macacos, músicos e seus instrumentos musicais tradicionais, (até) dentistas etc.

O Souk de Marraquexe, o eterno labirinto de lojas cheias de cores e cheiros, é um lugar obrigatório de se conhecer. É considerado o maior mercado tradicional berbere de Marrocos, tornando-se uma das atracções principais da cidade.

Repare nas muralhas de Marraquexe – Bab Agnaou. Erigidas no século XII pelo povo almorávida, as quais contam com cerca de dezanove quilómetros, em redor de toda a cidade. Foi este monumento que denominou este lugar como a “cidade vermelha”.

Visite os jardins Agbal, perto das montanhas Atlas, o jardim Majorelle (outrora do estilista Yves Saint Laurent, que comprou a propriedade do pintor Jacques Majorelle) e os Jardins Koutobia. Lindíssimos pelo exotismo aqui presente, onde poderá ver ao vivo espécies de plantas únicas no mundo.

Ao nível de palácios e mansões, Marraquexe apresenta-nos uma panóplia de exemplos arquitectónicos incríveis e que não devemos deixar de conhecer. Como por exemplo os palácios El Badi, o Palácio Real e o Palácio Bahia, assim como os Riads (mansões marroquinas) de Argana, Obry, Enija, el Mezouar, Lotus, Dar Darma, etc.

Com uma vasta lista de lugares sagrados, é altamente aconselhável conhecer, pelo menos as seguintes mesquitas: a Mesquita Koutobia (a maior da cidade), a Mesquita Ben Youssef e a Mesquita Mouassine – todas construídas até ao século XIV.

No que toca a museus, não deixe de visitar o Museu de Marraquexe, onde poderá conhecer peças únicas oriundas de todo o país, nomeadamente moedas, cerâmicas e documentos fotográficos e literatura. Conheça também o Museu Dar Si Said, de artes marroquinas que engloba jóias, tapetes, lamparinas, cerâmicas e peças em couro, ou o Museu de Arte Islâmica, o qual fica localizado nos Jardins Marjorelle, que por sinal é muito bonito.


Alojamento em Marrakech:


Apesar de Marraquexe não ser a capital de Marrocos, é sem dúvida, uma das mais importante cidades do país. E uma das maiores anfitriãs turísticas. A cidade tem duas zonas principais, onde encontrará várias opções de alojamento. A primeira zona é a região da Medina (Antiga Cidade ou Almedina) – a mais procurada, uma vez que encontra-se na movida principal da cidade. Ela é rodeado por muralhas antigas, fortificações que antigamente fechava a cidade no seu interior (hoje em dia é que a cidade já se expandiu para fora das muralhas – a segunda zona principal). Se optar ficar dentro das muralhas, não vale a pena alugar um carro, pois as ruas são muito estreitas e é bastante agradável andar a pé. O alojamento aqui, por norma, são em Riads (casas típicas marroquinas, localizadas dentro da medina) ou hóteis, género pensão.

Vejam algumas hipóteses:

Riad 107 – localizado mesmo perto da Praça Jemaa El Fna, tem piscina, salas de massagem e banho turco. Conta com 24 quartos, decorados individualmente e WC privativa. Ar-condicionado. Meia-Pensão ou Pensão Completa. Muito cómodo.

Riad Itrane – a dois minutos da Praça Jemaa El Fna, tem piscina, terraços com sol e vista para a Medina, Mesquita Koutobia e Montanhas do Atlas. Salas de massagens e banhos turcos, ar-condicionado e WC privativa. Boa relação preço/qualidade.

Hotel Smara – bons quartos, económico
Hotel Essaouira – económico
Hotel el-Ward – limpo e confortável, económico
Hotel Atlas – perto da praça, bons quartos e económico

Fora das muralhas, podemos chamar a “Nova Marraquexe”, onde encontramos bairros como Hivernage e Gueliz. Se ficar num hotel fora da Medina (Riads, só no centro), tenha em mente que sempre que quiser ir ao centro da cidade, terá de usar um meio de transporte, que poderá ser o táxi, uma vez ser tão acessível e rápido.

Hotel Ibis – estilo europeu
Hotel al Kabir – Calmo e moderno
Villa Dar El Kanoun – uma villa de luxo com piscina
Hotel Casa Marroquina – Hotel de três estrelas


Onde comer e Comprar algo:


O chá é a bebida mais consumida em Marrocos, e em Marraquexe não é excepção. Ah! e também o sumo de laranja natural, uma verdadeira delícia. Por norma, bebe-se o chá verde, com hortelã, servido com bastante açúcar. Nesta cidade, existe o hábito de consumir imenso camarão, frango, acompanhado de arroz com açafrão (e outras especiarias), passas e amêndoas. O prato que não foge ao olhar de qualquer turista, é o tagine. Primeiro, pela forma piramidal da panela de barro, e depois pelo sabor delicioso da iguaria ali preparada. Pode ser só com legumes, ou com borrego. Também existe um tagine de peixe, mas esta panela, apesar de ser de barro também, tem a tampa idêntica a de uma panela normal. A doçaria, é de cair para o lado. Prove os biscoitos de especiarias e gergelim, tortas de frutos secos e os cheesecakes maravilhosos.


Onde comer em Marrakech:


Quando estiver na Praça Djemma El Fna, repare na imensidão de restaurantes que estão localizados ao seu redor. Tem imensos restaurantes que servem comida típica marroquina, assim como existem outras ofertas mais internacionais, nomeadamente de comida italiana ou vegetariana. No hóteis, poderá usufruir tanto de uma refeição típica deste país ou a respeitar alguns hábitos dos visitantes ali hospedados. Alguns lugares que irá gostar:

Chez Chegrouni – perto da entrada principal do Souk, barato e tem vegetariano
Cafe Agrana – perto da praça, tem tagines fantásticos e doces deliciosos
Chez El Bahia – excelente qualidade/preço, calmo
Earth Cafe – localiza-se na Medina, vegetariano


Onde comprar, e o quê:


Marrocos tem uma panóplia de produtos feitos à mão, que não passam ao lado de nenhum turista. Os produtos são coloridos, feitos à mão e com óptimos acabamentos. E para além disso, baratos. Os souks, são locais até místicos e labirínticos, onde parece que entramos numa sala de espelhos – parece tudo igual. Perder-nos por aqui, é a coisa mais fácil. Torna-se desafiante. Nestes mercados, poderá comprar artigos em pele (malas, calçado, puffes, etc), latão e vestuário. As especiarias e chás, estão expostas de maneira bastante curiosa e colorida, aromatizando todo o local.


Como chegar a Marrakech:


Existem várias maneiras de chegar a Marrocos e à cidade de Marraquexe. Se estiver a pensar em chegar de avião, saiba que irá aterrar no Aeroporto Internacional de Marraquexe-Menara, o qual situa-se a cerca de seis quilómetros de Marraquexe. Neste local poderá encontrar várias comodidades como bancos, multibancos, um posto dos correios, lugares para comer e beber qualquer coisa, um centro de informação turística, assim como um centro médico, e claro, lojas.

Se for de comboio, a Estação de Marraquexe fica na Av. Hassan II (Guéliz – um bairro fora das muralhas). Poderá fazer uma viagem de dez horas, com partida de Tangêr. Se fizer a viagem de noite, terá de pagar um extra (acessível) para alugar uma cama. A linha do comboio acaba aqui em Marraquexe, não vai mais para Sul. Se quiser continuar a sua viagem para Sul, terá de optar por um autocarro ou ônibus, carro (ou táxi).

Se optar pelo autocarro ou ônibus, saiba que as companhias mais utilizadas e que, por norma, não apresentam quaisquer problemas, são a CTM e a Supratours. Estas companhias terminam a viagem na Estação de Autocarros, que fica em Bab Doukkala (a vinte minutos a pé do centro de Marraquexe). Daqui, também poderá apanhar autocarros para Agadir, Casablanca, Essaouira, Fez, Meknès, Ouarzazate, Rabat, etc.

Facebook Google Pinterest StumbleUpon Twitter

Os comentários deste blog de viagens são via facebook.