Ir ao Cabeleireiro e Arranjar o Cabelo em Marrocos

Ir ao Cabeleireiro e Arranjar o Cabelo em Marrocos
Ir ao Cabeleireiro e Arranjar o Cabelo em Marrocos

As mulheres marroquinas são muito vaidosas e gostam de tratar e arranjar o cabelo. Isto é uma coisa que nunca me passaria pela cabeça, já que muitas andam de lenço.

A grande maioria das mulheres tem o cabelo comprido e faz questão de o ter sempre muito bem tratado, usando produtos das lojas ou farmácia, mas sobretudo produtos caseiros naturais feitos à base de ervas. Aqui há muitas lojas de produtos de perfumaria e cosmética com uma variedade imensa de produtos dos mais diversos países – produtos marroquinos, brasileiros, franceses, …

Os produtos marroquinos são feitos sobretudo à base de rosas ou de óleo de argão. E ao falar de cabelo não podemos esquecer a famosa henna.

É fácil encontrar cabeleireiro em Marrocos, muito fácil! Pois parece haver um cabeleireiro em cada esquina! Para mim a grande dificuldade que há é encontrar um BOM cabeleireiro!!!

A maioria dos cabeleireiros são pequenas lojas onde há uma cadeira, um espelho e pouco mais. O espaço que sobra é para o barbeiro/cabeleireiro. Muitos destes sítios são uni-sexo e parecem as antigas barbearias que havia em Portugal, a diferença é que quando estão a atender uma mulher correm um cortinado na montra. Estes são um exemplo do tipo de cabeleireiros mais simples que aqui encontramos. Para dizer a verdade nunca me atrevi a entrar num destes!!! Como diz uma amiga minha são cabeleireiros / barbeiros, mas também podiam ser canalizadores ou pintores ou outra coisa qualquer, porque a especialidade deles não é nenhuma.

Depois há cabeleireiros mais ou menos como estamos habituadas, mas mesmo nestes é preciso ter cuidado! Já são cabeleireiros maiores, com mais aspecto de cabeleireiro que nós conhecemos, mas com vidros espelhados na montra ou cortinados para não se ver lá para dentro.

Geralmente os donos destes cabeleireiros têm cursos, tirados em Casablanca ou Agadir. Quase todos oferecem também serviços de estética. Quando se entra num destes cabeleireiros parece que viajámos no tempo!!! Tem tudo um aspecto tão simples e antigo! Nada tem a ver com os cabeleireiros com aspecto moderno a que estava habituada.

A decoração não passa de uns posters que foram postos nas paredes quando o cabeleireiro foi aberto, ou seja, não se admirem de ver nas paredes fotos da Claudia Schiffer ou da Cindy Crawford quando tinham 20 anos!!!

O que se passa em termos de decoração acontece com quem lá trabalha também. Quase sempre é o dono que atende e tem mais umas raparigas a ajudar. A maioria das mulheres vai ao cabeleireiro para cortar as pontas, secar e esticar o cabelo, nada mais. As raparigas ajudam nestas tarefas mais simples com indicações dadas pelo patrão e cortes um pouco mais complicados ou outro tipo de trabalhos como pintar ou madeixas é sempre feito pelo patrão.

Para as mulheres aqui dia de ir ao Hammam, é dia de ir ao cabeleireiro – por isso aos fins-de-semana os cabeleireiros estão sempre cheíssimos. É engraçado ver as mulheres a arranjar o cabelo e no fim enrolam-no, prendem-no e põem um lenço. Por norma nunca vi nenhuma lavar o cabelo no cabeleireiro, nem para cortar – se o cabelo estiver seco, borrifam com um pouco de água e já está! Aqui secar/esticar o cabelo é barato, custa 20 dh (cerca de 2€).

Descobrir aqui um cabeleireiro foi uma aventura. Nunca me atrevi a entrar em nenhum cabeleireiro sozinha, até tinha medo!!! Mas já estava com o cabelo grande e então decidi perguntar às minhas vizinhas onde é que havia um bom cabeleireiro para fazer madeixas e cortar o cabelo. Indicaram-me uma amiga que tinha tirado o curso em Agadir e que trabalhava muito bem, tinha sempre o cabeleireiro cheio.

É verdade que tinha o cabeleireiro cheio, agora a parte do trabalhar muito bem é relativa… O corte não ficou mau, não me desagradou de todo, agora as madeixas! Ai, ai!!!! Ela não estava habituada a fazer este trabalho, só cortava e secava o cabelo. Foi um horror, demorou horas e horas de volta do meu cabelo, não tinha prática nenhuma de nada. De fazer tintas, pôr o aluminio, fazer as madeixas. Fiquei com o cabelo todo às manchas. Dois dias a seguir fui comprar uma tinta e pintei o cabelo todo de castanho!

Passado uns tempos uma francesa recomendou-me um cabeleireiro, disse-me que é onde todas as europeias vão. Pareceu-me ser uma boa sugestão e fui experimentar. É um cabeleireiro grande, não muito longe da minha casa. De um lado é barbeiro, do outro, com a montra tapada com um cortinado amarelo é cabeleireiro para mulheres. De aspecto simples e antiquado, como todos os outros, aqui trabalha o cabeleireiro, a mulher dele que é esteticista, um barbeiro (do lado dos homens) e mais uma rapariga e está sempre cheio!!! Sempre! De manhã, à hora do almoço, à tarde e à noite. Já aqui me cruzei com algumas europeias, mas a maioria das suas clientes são marroquinas, de todas as idades, que esperam horas pela sua vez, seja para pentear, cortar ou esticar o cabelo, pintar ou fazer madeixas. Ao fim-de-semana (sábados e domingos são os dias em que mais gente vai ao Hammam) ou alturas de muitos casamentos chega a trabalhar até à meia-noite.

Uma vez estava em Marraquexe e decidi ir experimentar um cabeleireiro francês em Guéliz (zona moderna da cidade). Muito bonito, com uma decoração e acessórios bem modernos, são os donos que aqui trabalham, um casal francês. Para dizer a verdade não gostei nem deixei de gostar. Apreciei a sensação de volta a um local conhecido, mesmo sem nunca lá ter estado, pelo facto de este se parecer com o tipo de cabeleireiros a que estamos habituadas, mas em termos de trabalho esperava melhor.

Cheguei à conclusão que não vale a pena procurar mais, fico-me pelo salão de Ouarzazate. Não é o melhor cabeleireiro a que já fui na vida, mas é muito despachado, trabalha bem e tem bons preços. Arranjar/esticar o cabelo – 20 dh (2€); cortar 30 dh (3€); pintar 250 dh (25€); arranjar as sobrancelhas 15 dh (1.5€).

Agencia de Viagens em Marrocos